Saturday, July 08, 2006

emotional winter

Tu eras realmente um fenómeno.Conseguias sempre trazer em ti os sonhos de um mundo que para mim morreu desde que existes.
Nunca nada se comparava realmente a ti.Nunca tal foi possível sequer de ser tentado.
Nunca te pedi o teu olhar,embora tu mo desses sempre em ar de lamento por eu não o merecer.Todos os dias me davas algo de ti,que eu guardava nas areias poeirentas que me assolavam o coração.Mais nenhum sitio seria digno de encerrar um tesouro como o que tinhas escolhido dar-me...
Não te pedi nada mas insististe em dar-me o sol.Deste-me o céu e um sorriso,e eu apaixonei-me por ele mais do que por ti porque bastava-me pensar nele para te ver reflectido em todos os gestos mais concretos do meu mundo.
Deste-me um papel e um lápis,eu desenhei a tua sombra por seres demasiado para seres escrito e demasiado para seres sonhado.
Nas tuas doces palavras eu baloiçava e tu emprestavas-me o vento que tinhas criado para eu adormecer melhor.Na brisa leve dos teus cabelos tu eras realmente um fenómeno.


Tu és realmente um fenómeno.

Friday, July 07, 2006

thank you...

Descansei o meu sorriso no teu cabelo e enquanto sonhavas os meus pensamentos,entravas na noite que eu tinha destinado para ti um dia e dizias-me baixinho á minha alma tudo o que não podias dizer,tudo o que eu não podia ouvir.
A melodia da tua voz era sem dúvida um milagre divino para o qual eu sempre seria insignificante.Qualquer ser seria insignificante perante ti ou qualquer gesto que pudesse advir da tua pessoa.
Penso em ti como penso na vida.Penso nela sempre que o meu olhar consegue alcançar a tua ausência algures nas palavras escondidas e envergonhadas que nunca te dei.
Na pacificidade das tuas maõs eu adormecia e o meu amor repousava algures no cantinho onde eu vivia dentro de ti.
Sempre soube que eras muito mas nunca pensei que fosses tanto.Nunca ousei sonhar contigo.No inconsciente de mim,sei que nunca teria forças para aguentar a força que consegues exercer no meu coração,em tudo o que há para mim e me lembra de ti.
Sempre foste um anjo caído dentro do mundo que trago comigo.Nunca tiveste asas,mas levavas-me nelas sempre que eu tinha medo de morrer.
Mas eu morria sempre em ti.Nasci porque sonhaste comigo e morri porque me pediste.
Deixei de respirar diante do teu olhar e como uma criança ama o céu,amaste-me a mim.Disseste-me que eu não precisava de ar para viver.A falta de oxigénio não existe.A falta de água não existe.A tua vil ausência existe.
Tinhas razão.Tudo é supérfulo quando se trata de ti.
Nada existe além de ti e do que me fazes ser.


Não te posso perdoar por existires.Nem neste mundo,nem em mim.

Wednesday, July 05, 2006

Wake up girl.Just wake me up.

so everything...so you

Hoje acordei mergulhada no teu sorriso.Naquele teu sorriso tão teu que insistias em dar-me mesmo quando eu não o pedia.Nunca foi preciso eu to pedir para que nas profundezas do teu ser,soubesses algures que era o melhor de ti que podias alguma dia ousar oferecer-me.
Sentei-me na tua mão na rua deserta que sempre existiu entre o meu pensamento e a tua existência,enquanto esperava em gesto de dádiva a tua vinda até mim,quando os teus olhos falavam á minha alma coisas que a tua voz não pecava por dizer.
Os meus dias começavam em ti e nunca acabavam enquanto eu pudesse realmente sentir a tua respiração ofegante a soprar ténuamente aos meus cabelos.
Sempre tive um mundo só meu para não ocupar o dos outros.Nunca gostei do mundo dos outros,cheirava-me a podre e a mofo.Como aquelas nuvens bolorentas num céu falso pintado para nos fazer crer que era tão divino como o nosso.
Mas não era.
O meu mundo era o teu.Vivíamos lá os dois.Eu existia em ti e amava a vida que tinhas em mim.
Nunca pediria mais nada além disso porque simplesmente nunca poderia ter mais além do que isso.
Sempre foste assim...um tudo maior do que a soma que sempre todos viam em ti.

Menos eu.

Para mim sempre foste algo mais.Sempre foste uma totalidade plena que nada no universo possa compreender o que significas para mim.
Por isso não tentes compreender o que és.É inexplicável.
As leis da Física não te conseguem entender.A Biologia não pretende tentar.A Matemática não ousa sonhar.E ainda dizem que a linguagem da Natureza é esta.
Será que se esqueceram de ti como se fosses uma excepção á qual nenhuma regra pode alcançar?
Talvez sejas mais um promenor imenso que não obedece a nada.
Nem ás palavras.

Não há palavras que possam alguma vez exprimir o que és.O tudo que és e o nada em que me podes transformar se assim o desejares.

Tuesday, July 04, 2006

broken promises for broken hearts

Se eu dissesse tudo o que penso em vez de pensar tudo o que digo,talvez os olhos de outrem me achassem louca,mas tu saberias finalmente o quanto te adoro.
Não basta uma vida para apagar o que és.Nem mesmo uma eternidade.Nada pode apagar o que és,porque tu és tudo.E quando as palavras se tornam supérfulas,gosto de pensar em ti e no sorriso dos teus olhos onde estão espelhados tantos sonhos por cumprir,nada do que foi torna agora em ti a renascer como uma profundidade sem igual para a qual nem eu mesma consigo alcançar.
Tu és muito melhor do que eu.
Sim,eu não te consigo alcançar porque não te mereço.Não mereço uma ponta ínfima da tua personalidade de quem quer mudar o mundo com um olhar e consegue.
Quando a tua voz fala nos meus mais secretos pensamentos,o meu coração treme por não aguentar tudo o que significas para ele...
Deixas-me a mente repleta das tuas palavras e do teu ser,que da parte mais profunda de mim eu amo como se ama o destino que em ti me deste e em que em ti vou morrer.
Não te peço para compreenderes que espécie de papel desempenhas na minha vida.
Tu és ela própria.A minha vida.Por favor,não ma tires.

Monday, July 03, 2006

anyone,anywhere

Um dia chamei á vida o teu nome.E ela pediu-me perdão por não ser merecedora de ter nela.Talvez fosses demasiado.
Sim...realmente eras demasiado.
Nos ténues pensamentos que tinha sobre a tua pessoa,imaginava como seria ser em ti como tu eras em mim.Simplesmente tudo o que eu nunca vi no mundo dos teus olhos e sempre desejei ter mesmo sabendo não existir.
Nos meus passos invisíveis percorria as ruas inteiras do meu pensamento em busca da tua imagem..ou da tua sombra.Era tua,e por ser tua amava-a como se ama o Céu.
Foram mil e umas as noites em que não gritei por ti á tua janela e tu vieste-te ver-me..
São mil e umas as noites em que penso em ti e tropeço na ternura desmedida que te tenho...
Desde que te conheço nunca mais tentei alcançar o sol.Nada se compara a ti.

Saturday, July 01, 2006

Dei-te a minha mão com medo que a esquecesses.
Dei-te os meus olhos porque sempre que via o sol,via-o em ti.E isso era tudo o que eu queria.
Dei-te as minhas palavras para as guardares e tudo o que um dia eu te disse não se apagar.
Dei-te o meu mundo para que fizesses dele o teu.
Dei-te a minha vida e no entanto tu já não precisas dela.


E há coisas que realmente não têm concerto.Há coisas que vão estar sempre perdidas em partes.
Hoje percebi que tenho uma dessas estranhas coisas em mim.O meu coração.



"não importa em quantos pedaços o teu coração foi partido.O mundo não pára para que tu o concertes."
Realmente o tempo não pára.O mundo não pára.Nada pára.
Porque afinal ele não é algo especial.É apenas meu.
E já não pode ser concertado.











...and now what?
Corri sempre atrás do tempo.E ele correu sempre atrás de mim.
É incongruente saber que eu nunca vou encontrá-lo e no entanto ele está sempre aqui.
Hoje pensei no tempo.Assim como em tantos outros dias.Pensei que a efemeridade que lhe está subjacente não era mais do que uma vida malograda que alguém um dia decidiu dar-lhe.
O tempo passa realmente.E está sempre no mesmo sítio.
Eu sempre cheguei tarde a todo o lado, talvez por pensar que quanto mais eu demorasse a chegar a ti, mais tu esperarias por mim.
Não faz sentido pois não?

"(...)vais aprender que não importa em quantos pedaços o teu coração foi partido, o mundo não pára para que o concertes. Aprendes que o tempo não é algo que possa voltar para trás. Portanto, planta o teu jardim e decora a tua alma, ao invés de esperar que alguém te traga flores. E aprendes que realmente podes suportar, que realmente és forte e que podes ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que tu tens valor diante da vida. As nossas vidas são traidoras e fazem-nos perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar."

(William Shakespeare)




Porque tu já aprendeste.Porque eu te admiro.Porque tu és assim.

Friday, June 30, 2006

Abashed the Devil stood and felt how awful Goodness is

Mais um exame que ficou feito e mesmo assim ainda me sinto como se não o tivesse.
Voltei a ver o "meu" filme e surpresa das surpresas,descobri as frases ainda mais bonitas que as outras que eu tinha.Como se isso fosse possível...

"A building get torched. All that is left is ashes. I used to think that it is true about everything - family, friends, feelings - but now I know that sometimes if love proves real, and two people are meant to be together, nothing can keep them apart.
If the people we love are taken from us, the way they live on is to never stop loving them.Buildings burn, people die, but real love is forever."